sábado, 16 de abril de 2011

Os anos vão asfaltando nossa vidas

e deixando em buracos nossos sonhos

transformando sanqgue em argamassa

coração em pedra

A nossa estrada tá cheia de buracos

que nem os filosofos conseguem mais tampar

Os anos vão asfaltando nossas vidas

mas não curam as feridas

nossas experiências vão se petrificando

virão estatuas do que não tornaremos a ser

Meu braço e o seu não estão torcidos

nossas pernas não estão quebradas,

continuam no lugar

mas tudo anda meio engessado nesses dias

e nós,lado a lado já não conseguimos andar

(Dine)

Um comentário:

Jóta disse...

Vivemos na matrix...