domingo, 26 de setembro de 2010

Eu sempre soube que você queria fama
eu sempre soube que você queria cama
& mesa e banho & holofotes das mais potentes
luzes para distorcer teu real signo
Eu sempre soube que você queria fama
muito éter
pouca consistência
muita prosa
pouca poesia
E as pessoas na tua cama
não enxergam a tua verdade
não compram a tua imagem
não percebem tua carne e cicatriz
as pessoas que te acompanham
aproveitam a tua fama
tua necessidade de brilho
mas o teu falar
teu pedaço de melo-drama
ninguém uma vez quis ouvir
se perdeu no meio do furacão
que foi o personagem que criou
vestiu a roupa pelo avesso
e o zíper não consegue abrir
nem o antes ou o agora
nem tuas dores ou as falsas cores
quem te acompanha
só quer aquilo que você sempre quis
FAMA !

[Ariadne]

Um comentário:

airlon disse...

vestir a roupa pelo avesso de vez em quando é bom, faz a gente enxergar novas possibilidades...

APS