terça-feira, 21 de julho de 2009

Estavam crescendo e as mudanças eram tão pequenas nem notavam já estarem usando gravatas.Primeiro descobriram o tempo , ficaram assustados , derrepente já não podiam fazer tudo que outrora era parte do cotidiano de cada um , logo depois veio a distância quase de mãos dadas com a saudade. Já não se viam todos os dias e perceberam , alguns quilometros as vezes dificulta coexistir , nessas horas sentiam saudade , tinha saudade boa , lembranças das brincadeiras , das tardes que passaram juntos , também tinha saudade ruim de dias solitários misturados com tédio , onde o peito dói e tem - se vontade de chorar ou então sair correndo tentando acabar com a tal distância . Outro dia qualquer a palavra responsabilidade entrou em suas vidas "não posso fazer isso " , "não posso fazer aquilo " , "já não sou criança ..." mais triste foi quando perceberam poder viver sem sorrir , antes desta descoberta parecia ainda ter salvação mas como ficariam sem sorrisos ?Tudo ficava amargo e com tonalidade cinza . Homens e mulheres comportados , sérios e etc e tal . Um dia qualquer veio para lavar (salvar) suas almas , uma tarde com refrigerantes e chocolate . Uma tarde sem hora marcada e sem distâncias , estavam todos na sala vendo antigas fotos e alguns vídeos , no começo não sabiam se reconheciam aqueles rostos tão novinhos e olhos cheios de planos . Pareciam tão felizes e com tão pouco .Como conseguiam sorrir sem ter nada? Uma nostalgia os contagiou e não só isso , aos poucos lembraram de todas as coisas feitas juntas , começaram a brincar e a sorrir , sentiam - se bem ! Foram a rua , a chuva os banhou , trouxe consigo o frio e esse era amigo e fazia com que todos se abraçassem. A mesma chuva levou embora a noção de tempo , distância , saudade , não eram sérios e nem a gravata apertava seus pescoços . Todos estavam novamente com a idade certa !

(Ariadne)

5 comentários:

Moça do Fio disse...

Depois de ler isso, como não dizer que você conseguiu descrever o que de fato acontece? Vamos crescendo, nos podando e andando e vivendo de acordo com etiquetas e conveniências que esquecemos de sorrir, de nos permitir um atraso, de andar um pouco despreocupado.
Esquecer que estamos crescendo - claro, sem que isso implique em irresponsabilidade, faz bem à saúde ;-).


Beijim.

ana jessyka disse...

Texto maravilhoso e envolvente,por alguns instantes parece que vi o que esta acontecendo na minha vidase passar em segundos,eu preciso dessa tarde ai e bem rápido¬¬

ana jessyka disse...

aiiii meus amores,vc ta me matando de inveja...que fotos eram essas??quero saber de tudo^^

bia_schull disse...

-Morri...
era noises nesse texto??
nem parece...
rsrsrsrs

Jhessica disse...

caminhar de mãos dadas e apreciar o que há de simples é a grande riqueza que se pode cultivar a cada dia. mas isso parece tão pouco ao passar do tempo. a ambição cresce e destrói tudo que foi criado.
esse texto é mais que uma descrição do ser humano.
muito bom!
beijos, beijos
chatinha ;)