quinta-feira, 8 de abril de 2010

Olhar pro mundo sem usar nenhum colírio nos faz aprender a ver as coisas sem tanta maquiagem e eu pensava já ter visto tudo e saber todos os passos da vida mas você chegou e mudou a música.Me puxou pra perto de si e pôs nossos corpos em contato.Segurou minha mão e me conduziu por salões e camas.Fazia do meu corpo algo mais que um simples objeto,meu corpo era seu corpo.Você e eu confundidos em boleros e olhares,sem nada marcar mas sempre com as falas e ações certas,sem nada marcar mas sempre nas horas exatas.Entre tangos e beijos - me apaixonei.
(Dine)

5 comentários:

Ahh...Line. disse...

ouun... tão bom isso!

dine disse...

sera,será?!

A. M.S. disse...

sabe,metade do que escreve um poeta é produzido de sua emoção(claro que não é novidade) ,mas se não poldassemos a grande parte das primeiras sensações o que ficaria?se em vez de palavras ficassem as gotas do pranto,ou o ressonar de um canto de alegria?
-legal,gostei do texto,poesia,poema-e vlw pwlo comentario!abraços!

Andressa Vieira disse...

Dine caraa , acho que estou sendo atraida pelos teus pensamentos, ultimamente andei escrevendo sobre danças, e salões , vim aqui ver as novidades e olha o que eu encontro , os meus pensamentos e os seus misturados. é meio tenso qndo a gente escreve sobre o mesmo assunto, tua vida tá um dança meio torta , sem ritmo , e sem postura , assim como a minha ?

L-nise disse...

Lindo!

Faça um quadro e/ou mande para quem a inspirou...