quinta-feira, 13 de agosto de 2009

V de vingança


EVEY:
-Quem é você???
V :
-Quem?Quem É só a forma que deve ter um porque,e o que eu sou é um homem de máscara.
EVEY :
-Isso eu já notei!!
V :
-É claro que já,não questionei seus poderes de observação,apenas enfatizei o paradoxo de perguntar ao mascarado quem ele é."




"Voilà! À vista, um humilde veterano vaudevilliano, apresentado vicariamente como ambos vítima e vilão pelas vicissitudes do Destino. Esta visagem, não mero verniz da vaidade, é ela vestígio da vox populi, agora vacante, vanescida, enquanto a voz vital da verossimilhança agora venera aquilo que uma vez vilificaram. Entretanto, esta valorosa visitação de uma antiga vexação, permanece vivificada, e há votado por vaporizar estes venais e virulentos verminados vanguardeiros vícios e favorecer a violentamente viciosa e voraciosa violação da volição. O único veredito é a vingança, uma vendeta, mantida votiva,não em vão, pelo valor e veracidade dos quais um dia deverão vindicar os vigilantes e os virtuosos. Verdadeiramente, esta vichyssoise de verbosidade vira mais verbose vis-a-vis uma introdução, então é minha boa honra conhecê-la e você pode me chamar de V."
* Belo filme , me deixou anestesiada a primeira vez em que vi e sinto que há necessidade de vê - lo novamente!

Um comentário:

Moça do Fio disse...

Acho que sou lesada... pois não entendi necas deste filme. Eu preciso revê-lo, lógico que não pelas mesmas razões que você. Risos.

Beijos.